Ferragens para móveis, estofados, cozinha, revestimentos e sistemas de mobiliário.

Notícias sobre produtos, empresas, tecnologias e feiras de produção e comercialização de ferragens para móveis, acessórios para móveis e produtos semi-acabados para móveis.
Economia circular: cem histórias de excelência italiana no relatório da Fundação Symbola e Enel
Falar em economia circular não é novidade, pelo contrário, termos como sustentabilidade ambiental, green, reciclagem, entraram no nosso vocabulário diário. Contar uma centena de histórias de empresas italianas que representam a excelência da economia circular quer, por um lado, ajudar a definir o perímetro dentro do qual a Itália se move e, por outro, destacar o potencial da economia circular, em todos os níveis, oferecendo alimento para o pensamento.

Isso emerge do relatório "100 Italian Circular Economy Stories" da Symbola and Enel Foundation, 100 histórias da economia circular Made in Italy que analisam a qualidade e a inovação em uma chave circular: do agroalimentar à moda, da embalagem à mecânica, da madeira-mobiliário para a construção e finanças, cruzando eletrônica e química.
 

Itália tem o primado europeu da economia circular

 

A Itália tem a primazia europeia da economia circular; é de facto o país europeu com a maior percentagem de reciclagem do total de resíduos igual a 79,4% com uma incidência quase o dobro da média da UE (49%) e bem acima de todos os outros grandes países europeus (França é 66%, Alemanha 69%) .Resíduos enviados para reciclagem (117 milhões de toneladas), que são utilizados como material na construção/ infra-estrutura (50% igual a 59 milhões de toneladas) e fabricação (33% igual a 39 milhões de toneladas).

"A escassez de matérias-primas - disse Ermete Realacci, presidente da Fundação Symbola - nos levou a usar essa fonte de energia renovável e não poluente que é a inteligência humana. Construímos assim um sistema mais eficiente: a sucata de Bréscia, os trapos de Prato, as fábricas de papel de Lucca não são filhos de um decreto, mas a resposta a uma necessidade".

 

100 Italian Circular Economy Stories

 

Estas 100 realidades, embora representem apenas uma pequena parte dos muitos exemplos virtuosos de economia circular do nosso país, dizem como isso é central na economia verde e fundamental para enfrentar a crise climática, oferecendo novas e melhores oportunidades de desenvolvimento.

A busca da eficiência material e energética une a maioria das realidades pesquisadas, aspecto que tem efeitos diretos sobre os custos, a produtividade e, portanto, a concorrência. São muitas as soluções que visam preservar a qualidade dos materiais ao final do ciclo de vida dos produtos e aqueles que utilizam insumos renováveis ​​provenientes de processos de recuperação e reciclagem. Mas a inovação remonta às fases de design, com abordagens de ecodesign que visam prolongar a vida útil dos produtos, olhando para novos modelos de consumo.

A economia circular oferece a oportunidade de interligar as cadeias de suprimento num processo de simbiose industrial, onde os resíduos de uma empresa, ou de um setor, tornam-se matéria-prima para outra.Uma estratégia que, olhando para os distritos industriais, já faz parte do DNA do nosso país.A seção destaca a necessidade de novas habilidades (ou a redescoberta de artes antigas), novos produtos e novos processos, que podem alimentar um Made in Italy mais green e por esta razão mais forte.

 

O Relatório mostra uma Itália na vanguarda

 

O Relatório traça o perfil de uma Itália na vanguarda, que premia a qualidade, a inovação e a sustentabilidade ambiental e acredita-se que sirva de estímulo para uma divulgação e replicação cada vez mais ampla das melhores práticas.

Entre as 100 realidades empresariais presentes no Relatório encontramos, por exemplo, os painéis ecológicos feitos 100% com madeira pós-consumo (Grupo Saviola); elementos de móveis feitos com materiais pós-consumo ou recicláveis ​​e projetados para serem facilmente desmontados no final de sua vida útil (Arper); sites de comércio eletrônico especializados no aluguer de roupas, sapatos e acessórios (DressYouCan); plataformas digitais dedicadas ao compartilhamento de materiais, máquinas e equipamentos de construção (Edilmag); tecnologias inovadoras para reciclagem mecânica e química de resíduos (NextChem); empresas sem fins lucrativos dedicadas ao desenvolvimento de projetos, estratégias e engajadas na disseminação de conhecimento sobre o tema da economia circular (Tondo).